2007-07-19

Pequenos tiques mais ou menos irritantes…
Publicado no Região Sul

O preço do café acaba de aumentar no produtor. Os cafés, pelo menos os principais, têm acordos (contratos) com as marcas que asseguram o fornecimento, pelo que os preços só serão reflectidos daqui a algum tempo. Dizia um empresário do ramo HORECA, numa entrevista televisiva, que não ia aumentar para já os preços da “bica”, já que o aumento dos custos não se fariam sentir no imediato. Já me tinha esquecido deste assunto. No entanto, na passada segunda-feira, verifiquei que o preço da “bica” aumentou 10 cêntimos no estabelecimento que frequento diariamente. Ou seja aumentou 16,7%!?! Até nem me chateava se a bica fosse boa, mas não é. É do pior que existe em Faro… Assim, atravessei a rua e bebi uma bica melhor, pelo preço “antigo”. Fiquei a ganhar.

O estacionamento no Verão é caótico. São feitos investimentos na melhoria da circulação e depois assistimos a autênticos atentados ao código da estrada… mas, como é Verão, parece que as forças de segurança não ligam tanto. Refiro-me, por exemplo, à Avenida Mota Pinto e à Sá Carneiro em Quarteira! Reduzem uma avenida com duas faixas (por cada sentido) a uma ruazita, já que a faixa da direita (a tal onde deveríamos circular normalmente) está transformada em estacionamento. Sugestão minha: uns parquímetros portáteis para o Verão (brincadeira minha!) – multem mas é a torto e a direito… e não é figura de estilo, pois até nas rotundas já se estaciona…

Os prazos de entrega. Não sei como é no resto do País. Mas estou farto da postura de tantos empresários, que acordam a entrega para uma altura, para serem quase sempre desrespeitados. Dizer que algo chega numa data, significa, com os devidos descontos, esperar o dobro do tempo. É um bom exercício. Experimente!

Pedir uma água. Hoje em dia pedir uma água é uma aventura só comparável com pedir uma garrafa de vinho. Comecemos pela base: com gás ou sem gás. Depois, seja com ou sem, há um sem número de sabores, desde os mais simples, como o limão ou a maçã, aos compostos, como o lima-limão, etc… mesmo com gás existe o normal e o menos gasoso. Não é uma tarefa nada fácil, digo-lhe sinceramente.

Jantar fora nesta estação. Em qualquer cidade mais turística desta região, comer fora pode implicar um aumento considerável na tensão arterial. Não é fácil conseguir uma mesa ou receber o mesmo nível de serviço que no resto do ano. Está tudo entupido e tenho assistido ao aumento de procura em estabelecimentos de restauração mais escondidos, até na serra, onde se vai notando um aumento de visitantes. Este ponto é positivo.

O peixe da costa que por vezes nos tentam servir. Algumas vezes até vem da costa, não de dentro do mar, mas daqueles talhões rectangulares de piscicultura mesmo ao lado…

O Festival do Marisco de Olhão. Gostei do evento durante muitos anos. Hoje serve, e mal, o turismo. Come-se bem melhor pelos restaurantes desta localidade, do que propriamente dentro do recinto.

O atendimento (por parte de portugueses) em inglês. Já respondi, inclusive, na língua de Shakespeare, mantendo a “farsa” até quase ao final, terminando com um bem sonante e português “muito obrigado”. Nessa altura arregalam os olhos… até já me pediram desculpa. Deve ser culpa dos meus olhos azuis.

Enfim, em resumo, adoro o Algarve. Vivo na melhor região do País. Um paraíso… pelo menos nos restantes 9 meses do ano!

2 comentários:

Makejeite disse...

"Não será com certeza, com cinco livrinhos apenas que se escreve: livros da minha vida, contudo foram companheiros desta ou daquela ocasião, fugas ou visitações a extensões singulares, que são as palavras no papel paridas da mente humana."

É um desafio interessante, fizeram-me e eu aceitei, espero que aceites também, basta fazeres um "post" com "cinco livros da tua vida" e fazeres o desafio a outros cinco bloguistas, simples, Abraço

jorge lami leal disse...

Desafio aceite!